Images

Finep aumenta a disponibilidade de crédito para bancos regionais de desenvolvimento

    Nesta quarta-feira, 4/7, a Finep, Empresa Brasileira de Inovação e Pesquisa, a Associação Brasileira de Bancos de Desenvolvimento (ABDE) e o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) anunciaram o aumento dos limites de crédito condições mais flexíveis para os bancos regionais de desenvolvimento, parceiros estratégicos da Finep no financiamento dirigido à inovação nas micro, pequenas e médias empresas. Em cerimônia realizada no MCTIC, em Brasília, foi assinado um Memorando de Entendimento entre as três entidades, com presença do ministro do MCTIC, Gilberto Kassab, do presidente substituto da Finep, Ronaldo Camargo, e do secretário executivo da ABDE, Marco Antônio de Araújo, além de representantes dos bancos.

    O instrumento “Novos Limites Operacionais para as Instituições Financeiras de Desenvolvimento” vai destinar R$ 1,2 bilhão às entidades parceiras da Finep que financiam a inovação em todos os estados do país. Tal valor equivale a praticamente todo o valor já liberado pelo programa desde sua criação em 2013, e estará disponível ainda esse ano, tanto na forma de novas operações descentralizadas quanto em emissão de cartas de fianças para bancos de desenvolvimento e agências de fomento.

    Entre as novidades previstas no instrumento estão novos critérios para controle dos limites, revisão semestral do crédito a partir das publicações de demonstrativos financeiros das instituições e divulgação periódica do limite individual de cada banco. Com o novo instrumento a Finep procura oferecer seus parceiros condições mais condizentes com as práticas de mercado e também aumentar o grau de governança e transparência em suas operações.

    As mudanças têm como objetivo fortalecer e ampliar a abrangência do Programa Inovacred, linha de financiamento da Finep voltada para o segmento, e o relacionamento com as entidades financeiras. O Inovacred é atualmente a mais competitiva linha de financiamento para as micro, pequenas e média empresas em função das condições financeiras e dos prazos oferecidos. O programa opera através dos bancos de desenvolvimento e agências de fomento e já contratou 446 projetos em um total de R$ 853 milhões.